ZAPPIANDO

Posts marcados ‘américa’

A TRAJETÓRIA DE SUCESSO DE MARIANA XIMENEZ

Embalados com o final de Passione e estreando a sessão que relembra a trajetória de trabalho de atores e autores, a primeira é a atriz Mariana Ximenes, que brilhou como a vilã Clara na trama de Silvio de Abreu.

Relembramos agora os principais trabalhos da atriz.

Em 1998, Mariana estreou na TV, aos 17 anos, na novela Fascinação, de Walcyr Carrasco, no SBT. Ela interpretava Emília e fazia par romântico com Caio Blat.

O trabalho no SBT rendeu a Mariana sua estreia na Rede Globo, com um papel de destaque. Em Andando nas Nuvens (1999), ela interpretou Celi, uma das filhas do protagonista Otávio Montana (Marco Nanini). No início da história, Celi é uma noviça. Depois que sai do convento, a moça se apaixona pelo músico Tiago (Caio Blat, também em sua estreia na emissora).

Bionda, era este o nome da espivitada moça que abandonava os noivos, vivida pela atriz em Uga Uga (2000). Na divertida história de Carlos Lombardi, Bionda aprontava ao lado da prima Tati (Daniele Winits) e era a menina dos olhos do protagonista, o índio branco Tatuapú (Cláudio Heinrich).

Em junho de 2001, meses depois de se despedir de Bionda, Mariana voltou a trabalhar com Walcyr Carrasco, vivendo Isabel, em A Padroeira. A novela de Walcyr teve alguns problemas com audiência e mudou de rumo, deixando o tom sombrio da primeira fase. Com as mudanças, alguns personagens também sofreram alteração. Isabel que no inicio tinha um romance com Diogo (Murilo Rosa), passou a fugir do rapaz na segunda fase, terminando a história nos braços de Faustino (Rodrigo Faro).

Em janeiro de 2003, Mariana era Rosário, uma das protagonistas que dava título à minissérie A Casa das Sete Mulheres, de Maria Adelaide Amaral e Walter Negrão. Na história, que tinha a Revolução Farroupilha como pano-de-fundo, mais uma vez uma personagem de Mariana “corre” de um personagem de Murilo Rosa. Rosário tinha um compromisso com Afonso Corte Real, personagem de Murilo, mas, se apaixona por Estevan (Thiago Fragoso), um dos soldados da guerrilha inimiga. O amor é tanto, que mesmo com a morte do rapaz, o casal continua se encontrando.

Em setembro do mesmo ano, Mariana Ximenes vive Ana Francisca, a protagonista de Chocolate com Pimenta, sua terceira novela de autoria de Walcyr Carrasco.

Após a morte do pai, Aninha, como é chamada, muda-se para Ventura para viver com seus parentes. A moça simples e inocente é humilhada em uma festa perante a cidade e jura se vingar de cada um que riu dela na ocasião. Anos depois, Ana agora rica e bonita, retorna à cidade para cumprir a sua promessa.  Depois de tantos desencontros, a moça enfim termina feliz com o amado Danilo (Murilo Benício).

Em 2005, Mariana mudou o visual, deixando as madeixas curtas e pretas, para estrear no horário nobre, vivendo Raíssa, em América. Na novela de Glória Perez, a menina rebelde era filha do casal problemático Glauco (Edson Celulari) e Haidê (Christiane Torloni). No decorrer da história, Raíssa vira funkeira. Na cena de seu casamento, Raíssa entra na igreja ao som de um funk.

No início de 2006, Mariana deu vida à personagem real Lilia Gonçalves, minissérie JK.

Em abril do mesmo ano, João Emanuel Carneiro teve Mariana Ximenes como protagonista de sua segunda novela, Cobras e Lagartos. A musicista Bel era alvo da inveja da prima Leona (Carolina Dieckmann) e do noivo Estevan (Henri Castelli), que a traía com a vilã. Porém, Bel conhece Duda (Daniel de Oliveira) e se apaixona pelo rapaz.

Em 2008, Lara Fontini era a peça principal da disputa entre Flora (Patrícia Pillar) e Donatella (Cláudia Raia), em A Favorita, também de João Emanuel.  A moça era filha da vilã Flora, que tentava se aproximar dela após sair da prisão, tempo em que tinha sido criada por Donatella. Nas reviravoltas do folhetim, Lara começa namorando Cassiano (Thiago Rodrigues), mas, termina ao lado de Halley (Cauã Reymond).

Se em Cobras e Lagartos, Carolina Dieckmann era a vilã que infernizava a vida Bel, em Passione, foi a vez de Mariana ser a vilã que fez tanto Diana (Carolina) como os demais personagens passaram maus bocados. Com sua primeira vilã, a atriz foi o grande destaque da novela de Silvio de Abreu. Protagonizou cenas quentes ao lado de Reynaldo Gianecchini, Tony Ramos, Cauã Reymond e Daniel Boaventura e foi a grande assassina de Saulo Gouveia (Werner Schunemann), o mistério da novela.

Em meio a mocinhas sofredoras, rebeldes ou vilãs, Mariana Ximenes tem estado cada vez melhor como atriz, colecionando brilhantes trabalhos. E sem dúvida, vem também trilhando uma trajetória de sucesso.

Fotos: Divulgação


Nuvem de tags