ZAPPIANDO

Posts marcados ‘caetano veloso’

Na Trilha: As músicas de Vanessa da Mata em novelas

Estreando a nossa seção “Na Trilha”, Vanessa da Mata.

Ao longo da década a cantora lançou seis álbuns, entre CDs e DVDs, dos quais teve sete de suas canções como temas de novelas da Rede Globo.

Seu primeiro álbum intitulado Vanessa da Mata rendeu duas músicas para duas novelas. Onde Ir, como tema da personagem Caterina (Simone Spoladore) em “Esperança” (2002). E no ano seguinte,  a regravação de Nossa Canção embalou o romance da protagonista Maria Clara (Malu Mader) com Hugo (Henri Castelli), em “Celebridade”.

Em seu segundo álbum, Essa Boneca Tem Manual, Vanessa regravou a música Eu Sou Neguinha, de Caetano Veloso, que acabou entrando na trilha de “A Lua Me Disse” (2005).

No final deste mesmo ano e início de 2006, o hit Ai Ai Ai, ainda deste disco, estava em “Belíssima” e fez grande sucesso como tema de Rebeca (Carolina Ferraz), estando entre as músicas mais tocadas deste ano.

A música Ainda Bem era a que tocava quando a ‘Dona Guilhotine’, oops… Guinevere (Juliana Paes) entrava em cena, em “Pé Na Jaca” (2006).

Em 2008, na novela “A Favorita”, Lara (Mariana Ximenes) e Cassiano (Thiago Rodrigues) trocavam beijos ao som de Amado, música do disco Sim, vencedor do Grammy Latino como Melhor Álbum de Pop Contemporâneo Brasileiro.

Em seu CD e DVD Multishow Ao Vivo, Vanessa reuniu alguns grandes sucessos e lançou outros. Uma belíssima regravação de Um dia, um adeus, de Guilherme Arantes foi tema da protagonista Rose (Camila Pitanga), em “Cama de Gato” (2009).

Vale ressaltar a bela e agradável voz desta jovem cantora mato-grossense, que possui um estilo próprio e dá sempre um toque especial em suas canções e regravações.

Imagens: Divulgação

@diniz_paulinho

Esquenta: a festa na laje nos domingos globais

Domingo, depois do almoço, o telespectador sintoniza na Rede Globo e encontra Regina Casé com seu programa “Esquenta!”.

O cenário lembra o “churrasco na laje”, ao som de samba, pagode e funk. E a acomodação da plateia e dos convidados remete à reuniãozinha familiar no almoço de domingo de verão.

Não dá para negar que o programa é a cara da apresentadora. Talvez por isso mesmo que tem tanto o jeito carioca. Mesmo misturando com São Paulo ou com a Bahia não se percebe um retrato do ritmo do Brasil como um todo.

Na primeira semana estavam no palco Zeca Pagodinho, Preta Gil e Gilberto Gil. Já no segundo programa o grupo Pixote, Arlindo Cruz, Caetano Veloso, Maria Gadu, Viviane Araújo e a Velha Guarda da Estácio.

Um dos momentos do segundo programa que foge da lembrança do Rio de Janeiro é um dueto de Caetano e Maria Gadu cantando “Rapte-me”, música que ele revelou ter feito para Regina Casé.

Tomando como gancho, Regina e Gadu arranharam “Ne me quitte pás”, uma das preferidas da apresentadora.

A espontaneidade de Regina garante um tom intimo ao programa. Ela faz perguntas pessoais aos convidados e relembra passagens de outras ocasiões, coisas típicas de encontro entre amigos. Ela perguntou a Viviane Araujo, por exemplo, se na relação que ela teve com o cantor Belo ela “entrou com o pé ou com a bunda”.

De certa forma, os  convidados também combinam com a apresentadora e vão além de famosos, estendendo a seus familiares. Dodo, o vocalista do grupo Pixote, estava acompanhado da mãe, da mulher e dos filhos. O humorista Fábio Poechat levou ao palco sua avó, que é fanática por samba.

A festa da Casa da Regina só cai bem no verão e talvez ficasse deslocada na grade de programação do ano inteiro. Deve ser por isso que a emissora cotou deixa-lo no ar apenas durante neste início de ano.

Foto: divulgação

Nuvem de tags