ZAPPIANDO

Posts marcados ‘quem é você’

NILSON COMENTA “QUEM É VOCÊ”

*Por Nilson Xavier

Em 1995, após o sucesso de “A Viagem”, Ivani Ribeiro apresentou à Globo uma trama inédita, com o título de “Caminho dos Ventos”. A sinopse foi aprovada para o horário das 6 mas Ivani não chegou a desenvolver este trabalho pois viria a falecer ainda naquele ano. A novela foi entregue à sua habitual colaboradora, Solange Castro Neves, que escreveu apenas os primeiros capítulos de “Quem É Você”, o título final. Mas Solange desentendeu-se com a Globo e foi demitida. A novela passou então para as mãos de Lauro César Muniz, que fazia a supervisão do texto.

“Quem É Você” não foi um sucesso, tinha um elenco irregular, uma trama principal que não despertou o interesse do grande público, e tramas paralelas inconsistentes. Mas eu, particularmente, me interessei pela novela, principalmente em um pedaço da história em que a vilã Beatriz (Cássia Kiss) é perseguida pela mocinha Maria Luísa (Elizabeth Savala). Depois de sofrer nas mãos da irmã má, Maria Luísa desaparece, e arquiteta uma vingança contra a megera Beatriz. Esta foi a melhor parte de “Quem É Você”, com direito a uma sala de falso espelho por onde Maria Luísa vigiava a irmã malvada. Um dos raros casos em nossa teledramaturgia em que a mocinha se volta contra a vilã opressora muito antes do final da novela.

Merece destaque também o núcleo de uma casa para idosos onde moram simpáticos velhinhos abandonados por suas famílias. Seus dramas são discutidos com leveza e até humor, sem deixar de criticar esta situação por qual passam várias pessoas na terceira idade. Foi mérito também da produção reunir um belo elenco de atores veteranos – alguns até afastados da TV naquela época: Castro Gonzaga, Ênios Santos, Eloísa Mafalda, Vanda Lacerda, Cléa Simões, Alberto Perez, Eva Todor, Ruth de Souza, Norma Geraldy, Lafayette Galvão, Dirce Migliaccio e Lídia Mattos.

A abertura – com máscaras do carnaval de Veneza – trazia a bela canção “Noite dos Mascarados” numa gravação de Emílio Santiago:

“.. Hoje eu sou da maneira que você me quer / O que você pedir eu lhe dou / Seja você quem for / Seja o que Deus quiser..”

Veja o vídeo com a abertura:

Vídeo: Youtube

* Nilson Xavier é criador do site Teledramaturgia e autor do livro “Almanaque da Telenovela Brasileira”. Recentemente lançou também o Blog Noveludo.

Esta coluna é publicada todos os finais de semana no Zappiando.

Siga o Zappiando no twitter.com/Blog_Zappiando. Curta a nossa página no Facebook.

A TRAJETÓRIA DE ALEXANDRE BORGES: DO SÉRIO AO CÔMICO DE UMA NOVELA PARA OUTRA

Mocinho, vilão, sério ou engraçado. Alexandre Borges consegue ir do drama à comédia de um personagem para outro.

 

Em Guerras Sem Fim, na Manchete.

Natural de Santos (SP), o ator fez sua primeira novela, “Guerra sem fim”, em 1993, na extinta TV Manchete, onde conheceu sua esposa, a atriz Júlia Lemmertz. No ano seguinte, ele já fazia parte do elenco da Rede Globo. Relembramos a trajetória do ator:

 

Estreando na Globo, em Incidentes em Antares.

Sua estreia na Globo foi em 1994, na minissérie “Incidentes em Antares”, fazendo uma participação como o padre Pedro Paulo.

Em 1995, ele atuou na minissérie “Engraçadinha”, como Luís Cláudio. Seu bom desempenho lhe rendeu um convite do autor Sílvio de Abreu para interpretar o mau-caráter Bruno, em “A Próxima Vítima”, no mesmo ano.

Na minissérie Engraçadinha.

Em 1996, Alexandre protagonizou sua primeira novela, “Quem é Você?”. Seu personagem, Afonso, vivia um triângulo amoroso com as irmãs Maria Luíza (Elisabeth Savalla) e Beatriz (Cássia Kiss).

 

Com Fernanda Montenegro, em Zazá.

No ano seguinte, ele era Solano Dumont, um dos sete filhos da protagonista-título de “Zazá”, personagem de Fernanda Montenegro, na novela de Lauro César Muniz.

 

No remake de Pecado Capital.

Em 1998, Glória Perez escreveu o remake de “Pecado Capital”, original de Janete Clair. E Alexandre Borges deu vida ao criativo publicitário Nélio Porto Rico. Na trama, ele engatou um romance com Vilminha Lisboa (Paloma Duarte).

Em 1999, estava no ar o seriado “Mulher”, protagonizado por Eva Wilma e Patrícia Pillar. Alexandre interpretou o doutor João Pedro, médico no hospital onde as protagonistas trabalhavam.

 

Como Dom Guilherme, na minissérie A Muralha

No início de 2000, a minissérie “A Muralha” comemorava os 500 do descobrimento do Brasil. Na obra de Maria Adelaide Amaral, Alexandre era Dom Guilherme, apaixonado pela sofredora Dona Ana (Letícia Sabatella).

Em meados do mesmo ano, o ator interpretou um personagem completamente diferente de Dom Guilherme, o ‘boa vida’ Danilo Albuquerque, na novela “Laços de Família”, de Manoel Carlos. Casado com Alma (Marieta Severo), Danilo teve um caso com a empregada, Ritinha (Juliana Paes), e acabou a engravidando.

Reveja uma cena de Alexandre, em Laços de Família.


 

Com Cláudia Raia, em As Filhas da Mãe.

Em 2001, Alexandre voltou a trabalhar com Sílvio de Abreu, em “As Filhas da Mãe”, como Leonardo Brandão. Na história, Leonardo acaba se apaixonando pela transexual Ramona, personagem de Cláudia Raia.

 

Em O Beijo do Vampiro.

Em 2002, a “vampiromania” estava no ar na Rede Globo, e Alexandre Borges não foi poupado. No folhetim “O Beijo do Vampiro”, de Antonio Calmon, ele viveu Rodrigo, o mocinho que vira vilão, vítima do maligno “anel do poder”.

 

Em Celebridade, o ator viveu Cristiano Reis.

No ano seguinte, o ator estava de volta ao horário nobre, e deu o ponto certo ao drama do jornalista Cristiano Reis, seu personagem em “Celebridade”, de Gilberto Braga. Cristiano era viúvo e se entregou a bebida por não suportar a morte de sua mulher. Com a ajuda de seu filho Zeca (Bruno Abrahão) e da vizinha Noêmia (Julia Lemmertz), ele conseguiu largar o vício e reconstruir sua vida, ao lado dos dois.

Em Belíssima, com Camila Pitanga.

“Belíssima” entrou no ar no final de 2005 e Alexandre empresário Alberto Sabatini. O esperto empresário fazia de tudo para conquistar sua empregada doméstica, Mônica, vivida por Camila Pitanga. Mas, quando conseguiu se casar com ela, começou a traí-la com várias mulheres.

 

Na minissérie Amazonia.

Já em 2007, Alexandre participou da primeira fase da minissérie “Amazonia – de Galvez a Chico Mendes”, interpretando um personagem real, doutor Plácido de Castro.

 

Com Letícia Sabatella, em Desejo Proibido.

No final do mesmo ano, ele voltou a fazer par com Letícia Sabatella, na novela “Desejo Proíbido”, de Walter Negrão. Seu personagem, doutor Escobar, se envolve com a paciente Ana, papel de Letícia.

 

Em Caminho das Índias, Alexandre viveu o complexo Raul Cadore.

A dobradinha se repetiu mais uma vez no trabalho seguinte de Alexandre. Em “Caminho das Índias”, de 2009, ele viveu o empresário Raul Cadore, um homem insatisfeito com a vida que leva, e resolve simular a própria morte, ao lado da amante Yvone (Letícia Sabatella). Porém, ela só quer saber de sua fortuna e o deixa pobre, em Dubai.

 

Atualmente, em Ti Ti Ti.

Atualmente, Alexandre pode ser visto como o engraçado costureiro Jacques Leclair, no remake de “Ti Ti Ti”, já em sua reta final. No folhetim adaptado por Maria Adelaide Amaral, Jacques, que na verdade se chama André Spina, vive em constante disputa com seu inimigo de infância, Ariclenes (Murilo Benício). O ator protagoniza cenas hilárias, principalmente, ao lado de Murilo Benício, Cláudia Raia e Juliana Alves.

 

Em Um Copo de Cólera, com sua esposa, a atriz Júlia lemmertz.

Com vários personagens marcantes no currículo, Alexandre Borges é um dos grandes nomes da Teledramaturgia Brasileira. Além de atuar em novelas e minisséries, o ator coleciona grandes papéis também no Teatro e no Cinema, como no filme “Um Copo de Cólera”.

Ainda na Televisão, ele atuou ao lado de sua esposa Júlia, como o protagonista do seriado “Joana e Marcelo”, no Multishow.

Júlia é uma das atrizes das quais Alexandre mais contracenou. Cláudia Raia e Letícia Sabatella também figuram esta lista.

Alexandre sempre traz bons personagens. OS que não são tão bons, ele o torna bom.

Fotos: Divulgação

Vídeo: Youtube

Nuvem de tags