ZAPPIANDO

Posts marcados ‘vira-lata’

15 ANOS DA ESTREIA DE “VIRA-LATA”

Murilo Benício era o promotor Bráulio Vianna.

Nos primeiros dias de abril de 1996, o horário das sete da Rede Globo estava com novela nova, “Vira-Lata”, com autoria de Carlos Lombardi e direção-geral de Jorge Fernando.

A novela começou com promessas de ser um grande sucesso, talvez por reflexo do trabalho anterior de Lombardi, “Quatro Por Quatro”, e também pela parceria do autor com o diretor Jorge Fernando, o que resultaria em algo engraçado. Mas, este grande sucesso acabou não acontecendo.

Sucessivos erros e problemas de bastidores culminaram na mudança de rumo da trama a fim de seu salvamento, porém, não deixou boas lembranças nem mesmo para o autor.

No livro “Autores – Histórias da Teledramaturgia”, Lombardi fala que errou a mão na novela.

Andréa Beltrão teve uma gravidez de risco e se afastou das gravações da novela.

“Foi a minha pior novela. Em Vira-Lata aprendi a jogar fora o que não funciona e consertar o que está dando errado com a novela no ar. (…) Demorei para descobrir que havia errado na escalação. Eu e Andréa Beltrão não nos entendemos. Ela brigou muito com o texto. Errei também na escalação da Glória Menezes, que pediu para sair da novela. Ela estava insatisfeita com a personagem. Quer dizer, as duas atrizes escaladas para viver as mulheres centrais da trama estavam erradas.”

Andréa Beltrão era a protagonista da trama e engravidou no início da novela. Diante dos erros, o autor promoveu algumas reviravoltas e colocou a personagem de Carolina Dieckmann, a terceira protagonista, como a principal, desenvolvendo assim com mais destaque a história de Renata e Fidel.

Humberto Martins era o encrenqueiro Lênin.

Sinopse – Helena (Andréa Beltrão) abandonou sua família no passado porque tinha vergonha do pai, Moreira (Jorge Dória), um estelionatário. E acabou dando a volta por cima ao se casar com o promotor linha-dura Bráulio Vianna (Murilo Benício), sem contar para ele sobre a verdadeira origem de sua família. Os dois têm duas filhas pequenas, Giovanna (Alessandra Aguiar) e Juliana (Kananda Raia). Mas o drama de Helena recomeça quando Vianna passa a se empenhar na prisão de Moreira, sem saber que é seu sogro.  E quando Bráulio descobre, ele pede para Helena escolher entre o pai ou as filhas. Helena então viaja para Florianópolis para refletir e conhece Lênin (Humberto Martins), por quem se apaixona.

Os personagens de Carolina Dieckmann e Marcello Novaes se tornaram os principais.

Enquanto isso, Lênin e os seus irmãos Fidel (Marcello Novaes) e Mussolini (Luciano Vianna) se deparam com a volta da mãe, Laura (Glória Menezes), que havia os abandonado há 18 anos atrás por causa de um novo amor. Quem volta à vida desses irmãos também é Pietra (Vanessa Lóes), que acaba seduzindo Lênin e Fidel, que debate entre a paixão por ela e o amor por Renata (Carolina Dieckamann). Mussonlini também é apaixonado secretamente por Renata e conta com o apoio de Pietra para conquistá-la.

O conflito maior acontece quando Lênin envolve Fidel em uma encrenca e depois faz de tudo para livrar o irmão da cadeia.

Na família há um estigma: um dos irmãos deverá morrer vítima de uma doença congênita.

O destaque da novela ficava por conta do cachorros, principalmente, Zé, o bicho de estimação da protagonista.

Fotos: Divulgação

@diniz_paulinho

Nuvem de tags