ZAPPIANDO

Posts marcados ‘morde e assopra’

OS AMIGOS QUE NOS DIVERTEM NA FICÇÃO

Nessa quarta (20) foi comemorado o “Dia do Amigo”. Se dermos uma “zappiada” pela atual programação da TV, vamos encontrar vários ‘best friends’. A maioria deles tem nos divertido bastante.

Em “Tapas e Beijos“, Sueli (Andréa Beltrão) e Fátima (Fernanda Torres) são carne e unha e apesar do título da série, vivem mais aos beijos do que aos tapas. Na verdade, os tapas e beijos em questão são com seus respectivos namorados. As amigas, que moram e trabalham juntas, são praticamente irmãs.

Há algumas semanas, surgiram no “Zorra Total” duas amigas que têm divertido o público. Janete (Thalita Carauta) e sua ‘best friend’ Valéria (Rodrigo Sant’anna). Valéria, que era Valdemar, surripia os pretendentes que ‘bulinam’ sua amiga e virando os olhos diz: ‘Ai, como eu sou bandida!’

Divã” já se despediu da telinha. Mas, a protagonista, Mercedes, vivida por Lilia Cabral, também tinha uma grande amiga, a quem desabafava seus dilemas e desventuras. Era Tânia (Totia Meirelles). Porém, nem tudo eram flores, às vezes as amigas trocavam farpas, mas a amizade sempre prevalecia.

Assim como “Divã”, “Macho Man” também já saiu do ar. Na série, o ex-gay Zuzu (Jorge Fernando) e a ex-gorda Valéria (Marisa Orth) viviam em confusão para tentarem desencalharem em suas novas condições, ele de hétero e ela de magra.

Na novela “Morde e Assopra“, os ex-noivos se tornaram grandes amigos. Celeste (Vanessa Giácomo) e Áureo (André Gonçalves) vivem para cima e para baixo pelas ruas de Preciosa.

Ainda na novela das sete, Júlia (Adriana Esteves) e Ícaro (Mateus Solano) também são grandes confidentes um do outro.

Vídeos: Youtube

Siga o Zappiando no twitter.com/Blog_Zappiando. Curta a nossa página no Facebook.

Anúncios

A TRAJETÓRIA DE ADRIANA ESTEVES

Ela foi descoberta em um concurso no programa do Faustão, daí então foi fazendo trabalhos na TV e ganhando seu espaço. No inicio, foi até criticada, mas, se tornou uma grande atriz. Tem tino para a comédia e dose certa para o drama. Nos últimos anos, foi presenteada com várias protagonistas, como a da atual novela das sete, “Morde e Assopra“. Vamos acompanhar a trajetória da atriz Adriana Esteves.

Em 1989, no quadro Estrela por um dia, do “Domingão do Faustão“, Adriana disputou com Flávia Alessandra e Gabriela Duarte uma vaga para a novela “Top Model“. Flávia acabou vencendo e ficou com o papel prometido, porém, Adriana e Gabriela também participaram da novela.

Em "Meu Bem Meu Mal", sua 2ª novela.

No ano seguinte, a atriz deu vida a jovem Patrícia, em “Meu Bem Meu Mal“. Na trama de Cassiano Gabus Mendes, a personagem se aproximava de Ricardo Miranda (José Mayer) para uma vingança de família. Por fim, ela acaba se apaixonando verdadeiramente e eles ficam juntos no final.

Com Maurício Mattar, em "Pedro Sobre Pedra".

Em 1992, ao lado de Maurício Mattar viveu um romance à la Romeu e Julieta, em “Pedra Sobre Pedra“. Os personagens eram filhos dos inimigos Pillar Batista (Renata Sorrah) e Murilo Pontes (Lima Duarte), respectivamente.

Em "Renascer", como Mariana.

Em 1993, Adriana foi criticada pela mídia por conta de sua atuação em “Renascer“, como Mariana.

Ao lado de Edson Celulari, seu par na minissérie "Decadência"

Na forte minissérie “Decadência“, de 1995, a qual retratava o declínio de uma família conservadora e a política do Brasil entre os anos de 1984 e 1992, a atriz viveu a protagonista Carla. A personagem vive um romance com o ex-motorista da família, vivido por Edson Celulari, mesmo tendo ideais diferentes.

Na novela "Razão de Viver", no SBT.

Em 1996, Adriana trocou a Globo pelo SBT e protagonizou ao lado de Irene Ravache e Joana Fomm, a novela “Razão de Viver“. Nesta época conheceu seu primeiro marido, o ator Marco Ricco, com quem teve um filho e ficou casada até 2003.

Na 2ª fase de "A Indomada", como Helena.

No ano seguinte, voltou a Globo, protagonizando a novela “A Indomada“. Na obra de Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares, viveu Eulália, na 1ª fase, e Lúcia Helena, na 2ª, e novamente fez par romântico com José Mayer.

Em “Torre de Babel“, em 1998, começou a mostrar o seu lado cômico, como a vilã Sandrinha. No último capítulo, descobre-se que a personagem era a culpada pela explosão do shopping, que suscitava no grande mistério da trama.

Começando os anos 2000, em um papel bem diferente do que havia feito até então. No horário das seis, encarnou a feminista Catarina Batista, que vivia como cão e gato com o o rústico Julião Petrucchio (Eduardo Moscóvis), em “O Cravo e a Rosa“. Na trama de Walcyr Carrasco, ela atirava pratos e vasos para todos os lados.

Em 2002, continuou no horário das seis, agora com ares de vilania, dando expediente como a mimada Amélinha Mourão, em “Coração de Estudante“. Na segunda metade da novela, e personagem ficou engraçada e teve um final feliz ao lado do apaixonado peão Nélio (Vladimir Britcha).

Em 2003, Adriana repetiu o par com Britcha no início de “Kubanacan“. Alguns anos depois se ele tornaria seu marido. Neste mesmo ano, ela se separou de Marco Ricca.

Em “Kubanacan“, a atriz vivia a dona-de-casa que se torna cantora, Lola Calderón. E fez par pela primeira vez com Marcos Pasquim, que vivia o protagonista Esteban Maroto.

Em 2004, ela participou dos primeiros capítulos de “Senhora do Destino“, sendo a vilã Nazaré Tedesco, na 1ª fase da novela. A participação foi curta, mas boa o suficiente para ser lembrada pelo bom trabalho da atriz.

Com Pasquim em "A Lua Me Disse".

Em 2005, Adriana e Pasquim repetiam o par, em “A Lua Me Disse“, mas, no decorrer da trama, o personagem dele se torna vilão. E a dela, a protagonista Heloísa, se apaixona por Gustavo, vivido por Wagner Moura, em sua estreia em novelas. Mesmo a trama de Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa sendo bem-humorada, Heloísa tinha uma carga dramática mais forte.

Dois anos depois, a Globo resolve colocar no ar como série o especial de fim de ano “Toma Lá Dá Cá“, na qual Adriana encarna a divertida dona-de-casa Celinha. A série ficou no ar entre 2007 e 2009, em três temporadas. Celinha era casada com Mário Jorge (Miguel Falabella) e vizinha de seu ex-marido, Arnaldo (Diogo Vilela), agora casado com a ex de seu marido, Rita (Marisa Orth). Quando nervosa, Celinha saltitava a mão no peito, tendo palpitações.

Na minissérie "Dalva e Herivelto".

Enquanto ainda estava no ar na última temporada de “Toma Lá Da Cá“, a atriz gravou a minissérie “Dalva e Herivelto – Uma Canção de Amor“, interpretando a cantora Dalva de Oliveira, ao lado de Fábio Assunção, que vivia o compositor Herivelto Martins. A minissérie em 5 capítulos foi ao ar toda gravada, em janeiro de 2010.

Também em 2010, Adriana participou da série “As Cariocas“, protagonizando o episódio A Vingativa do Meier.

Na atual novela das sete, "Morde e Assopra".

Agora em 2011, ela pode ser vista como a pesquisadora Júlia, protagonista da novela das sete, “Morde e Assopra“. Em sua segunda novela de Walcyr Carrasco, a atriz faz par romântico pela terceira vez com Marcos Pasquim. No início das gravações, Adriana Esteves viajou com a equipe para o Japão. Na época, concedeu uma entrevista a um jornal, no qual falava emocionada sobre a viagem. Após pesquisa com telespectadores, o autor aumentou a participação da personagem nos demais núcleos da novela, sinal da boa aceitação da protagonista.

Em mais de 20 anos de carreira, é perceptível um amadurecimento da atriz. Ao longo desses anos, ela coleciona diferentes personagens, entre dramas e comédias, sempre pontuadas pela sua excelente interpretação.

Fotos e Vídeos: Divulgação/Youtube

Siga o Zappiando no twitter.com/Blog_Zappiando. Curta a nossa página no Facebook.

NO DIA DE SÃO JOÃO, RELEMBRE OS CAIPIRAS DA FICÇÃO

Nesta época do ano, por conta das festividades juninas de Santo Antonio, São João, São Pedro e São Paulo, os arraiás são bem propícios. Além das quadrilhas, fogueiras e comidas típicas, encontramos muita gente vestida a caráter da festa na roça e ensaiando um sotaque caipirês – sempre bem divertido.

Por conta disso e aproveitando que nesta sexta (24) é dia de São João, o Santo que mais representa as festas juninas, relembramos alguns caipiras da ficção, que fizeram graça com o sotaque. A maioria deles são personagens de novelas do autor Walcyr Carrasco.

Petrucchio (Eduardo Moscóvis) chamava Catarina (Adriana Esteves) de favo de mel.

Em “O Cravo e a Rosa” (2000), Eduardo Moscóvis dava vida ao fazendeiro Julião Petrúcchio. O caipira vivia às farpas com sua amada Catarina (Adriana Esteves), que o chamava de “grosseirão”.

Nélio (Vladimir Britcha) fazia a alegria das mulheres em "Coração de Estudante".

Em “Coração de Estudante” (2002), na fictícia Nova Aliança, o peão Nélio (Vladimir Britcha) carregava em seu sotaque para dizer que era “um bjeto sexual”.

A 'chique' Márcia (Drica Moraes) e seu primo Timóteo (Marcelo Novaes), em Chocolate com Pimenta.

A caipira mais chique de todas estava em “Chocolate com Pimenta” (2003). Márcia (Drica Moraes) era ‘dona e proprietária de um salão de beleza’ e vivia às turras com o primo Timóteo (Marcelo Novaes), mas adorava a sua família caipira. Vivia repetindo que ela era “chique benhê”.

Vanessa Giácomo com Daniel Oliveira, em Cabocla.

Na mesma novela, Tony Ramos vivia o Coronel Boanerges.

Lá pras bandas de Vila da Mata, vivia a doce caboclinha Zuca (Vanessa Giácomo). A moça tímida conquistou o coração do doutorzinho Luís Jerônimo (Daniel Oliveira). O casal era protagonista da novela “Cabocla” (2004). Na mesma novela, Tony Ramos dava vida ao Coronel Boanerges.

Em Alma Gêmea, Crispim espantava os pretendentes de sua irmã, Mirna.

Em “Alma Gêmea”, a caipirinha Mirna (Fernanda Souza) sonhava em arrumar um marido. Passava horas confidenciando com sua pata Doralice. A moça vivia com o irmão ciumento Crispim (Emílio Orciolo Neto) e com seu tio Nardo (Emiliano Queiróz).

Ricardo Tozzi como o primo Cândido, em Pé Na Jaca.

Já em “Pé Na Jaca”, Ricardo Tozzi dava vida ao divertido  Cândido, que aprontava poucas e boas na fictícia Deus Me Livre.

Abner com sua família e vizinhos em Morde e Assopra

Atualmente, no horário das sete Global, o caipirês também dá expediente. Em “Morde e Assopra”, a família do protagonista Abner (Marcos Pasquim) e seus vizinhos usam e abusam do sotaque.

Fotos: Divulgação

Siga o Zappiando no twitter.com/Blog_Zappiando. Curta a nossa página no Facebook.

COINCIDÊNCIA: MORDE E ASSOPRA ESTREIA MOSTRANDO TERREMOTO NO JAPÃO

O ator Mateus Solano em gravação no Japão.

Nesta segunda (21), estreia a nova novela das sete, da Globo, “Morde e Assopra”.

A novela de autoria de Walcyr Carrasco trás em seu primeiro capítulo e um terremoto ocorrido no Japão. As cenas com imagens fictícias foram gravadas no Japão meses antes da catástrofe acontecer no país.

O autor declarou no Twitter que teve uma “premonição”. Porém, em entrevista ao Jornal Folha de São Paulo, desse domingo (20), ele disse que não escreveria se já tivesse ocorrido a terremoto real.

As cenas gravadas serão levadas ao ar, como previsto, sem nenhuma outra edição.

Nathália Dill no primeiro capítulo de 'Escrito nas Estrelas' (2010).

Outras coincidências – Em abril de 2010, o primeiro capítulo de “Escrito nas Estrelas” mostrava uma forte enchente que devastava uma favela na cidade do Rio de Janeiro. O inicio da história já havia escrito um ano antes de ir ao ar. Mas, na semana anterior à estreia, uma forte chuva na vida real teve o mesmo efeito na cidade. Estava ‘escrito nas estrelas’!

'O Clone' retratou a Cultura Muçulmana, em 2001.

Em outubro de 2001, a novela “O Clone” tinha como pano-de-fundo a Cultura Muçulmana. Três semanas antes da estreia, ocorreu nos Estados Unidos, o atentado às Torres Gêmeas, supostamente provocado pelo muçulmano Osama Bin Laden, o que culminou na curiosidade do mundo todo por esta cultura.

Fotos: Divulgação

@diniz_paulinho

O QUE VEM POR AÍ…

Nessa semana, a Rede Globo começou a exibir nos intervalos de sua programação os teasers da próxima novela das sete, Morde e Assopra. A trama de Walcyr Carrasco deve substituir Ti Ti Ti a partir de 21 de março.

Os principais nomes do elenco são de Adriana Esteves, Marcos Pasquim, Mateus Solano, Flávia Alessandra, Elizabeth Savalla, Ary Fontoura, Caio Blat e Cássia Kiss (agora, Magro).

Veja o teaser:

– Ainda nessa semana, foi divulgada a intenção da Globo em criar um horário para macrosséries no segundo semestre deste ano. As séries serão de 48 capítulos cada e entrarão depois das 22h30. O título de estreia já foi definido, “O Astro”, novela de Janete Clair, exibida com sucesso em 1977.

“O Astro” apresentou o primeiro “quem matou?”, intrigando o publico com a pergunta: “quem matou Salomão Hayalla?”, personagem de Dionísio Azevedo. E era estrelada por Dina Sfat e Francisco Cuoco, que vivia Herculano Quintanilha.

A adaptação será assinada pelos autores Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro, com direção de Roberto Talma.

– Já estão em fase de gravação os seriados “Lara com Z” e “Divã”, que estreiam em abril, na Globo.

“Lara com Z” é estrelado por Susana Vieira e é uma homenagem do autor Aguinaldo Silva à atriz. O seriado é derivado da minissérie “Cinquentinha”, de 2009.

Já “Divã” é estrelado por Lilia Cabral, que vive Mercedes, e também é derivado da peça teatral e filme homônimos. Totia Meirelles, Marcelo Airoldi, Julia Almeida, Paulo Gustavo e Duda Nagle estão no elenco.

– A Record promoverá uma promoção em que sorteará ipads e carros, para alavancar a audiências de “redelde”, em seus primeiros 20 capítulos. Os sorteios serão realizados ao vivo, nos intervalos da novela, com um rodízio entre os apresentadores da casa.

“Rebelde” estreia em março e é uma adaptação do original mexicano produzido pela Televisa. A adaptação será escrita por Margarete Boury.

– Em março também está de volta o “CQC”, na Band. Na nova temporada, o quadro “Proteste Já”, uma das maiores audiências do programa, será apresentado por Oscar Filho. Na temporada passada, ficava no comando de Rafael Cortez e, anteriormente, era apresentado por Rafinha Bastos.

Vídeo: Youtube

@diniz_paulinho

Nuvem de tags